sábado, 6 de novembro de 2010

Lâmpada de Leds

4 comentários
Pessoal,


Tenho procurado na internet soluções em LED para lampadas em geral. Meu principal objetivo é diminuir o consumo da moto e deixa-la com um efeito de luz bonito. O Consumo de uma lâmpada de pisca meu, por exemplo é de 16w, contra 1w dos LEDS. A de freio/lanterna é de 16w, contra 2w de LEDS.



Essa semana fiz a troca das lampadas das setas por LEDS e encomendei também um relê eletrônico, para que as setas continuem a piscar com a mesma frequência.





Além das setas, pretendo modificar a lanterna traseira (2 polos). Já encontrei os modelos que quero e devo adquirir essa semana. Esse modelo é melhor do que o de cima, pois ilumina os lados, dando uma amplitude maior de iluminação.

Hoje achei no Mercado Livre lâmpadas H4 de farol em Leds.

Achei fantástica, pois promete temperatura de cor de 6000k. Minha pergunta é: Ilumina mais / igual / ou menos que uma lâmpada Halógena????



Não tenho ninguém que utilize essas novas lâmpadas e por isso queria compartilhar com vcs a dúvida! Abraços!

Voltímetro de Leds

0 comentários
Pessoal,

Esse sistema é bem simples. São leds com restritores de correntes que ficam ligados nos sitema elétrico da moto. Possui intervalos de voltagem que vão de 10,5v até 13,5v. Somente 1 led acende por vez ou quando a faixa está mudando de x para y, x e y acendem juntos até que a faixa se subsequente se fixe.


Quando a moto é ligada na chave, sem virar o motor ele dá o intervalo que a bateria se encontra. Quando a moto é ligada ele indica a faixa de voltagem que a moto está dando o status de carregamento da moto.



Na maioria da motos, em 2000 rpm a moto tem que gerar entre 13 e 14v. Ele indicará no led de 13,5v se a bateria está está com 13,5v ou mais.

Caso o retificador esteja mandando mais carga do que deve para o sistema da moto, acenderá um led vermelho de cor vermelha, quando essa corrente chegar em 15v.

Resumindo as funções do voltímetro:
- Verifica a carga da bateria;
- Verifica se o sistema de carregamento (estator + regulador) está funcionando;
- Verifica que o sistema está recebendo mais carga do que deveria;

Ele não indica se o problema é no regulador ou no estator. Só verifica o sistema de carregamento da bateria. Para definição de qual o problema, deve-se fazer testes mais pontuais em cada peça. O importante é saber se o sitema de carregamento está OK.

Ele tem um tamanho bem pequeno:



Procurei esse medidor pois tive uma situação chata na Mirage que me deixou na mão de bobeira - se tivesse o voltimetro ou se a injeção tivesse um sensor de carga da bateria teria identificado o problema antes de enguiçar.

Meu retificador soltou da fixação da moto e caiu entre o quadro e a corrente de transmissão. Conforme o uso da moto, o dissipador e o circuito do retificador foram afetados mas eu não sabia, pois o mesmo fica em uma das laterais da moto. Ouvia um barulho mas não sabia onde era. Só fui saber quando fiquei sem bateria na rua. A injeção da Mirage tem 12 sensores que indicam n situações, mas não tem um indicador de carregamento nem de nível critico da bateria. Numa moto que depende 100% da bateria pra funcionar deveria ter um sensor mais apurado.

Andei pesquisando as motos com injeção em geral e vi que nenhuma delas possui esses 2 sensores.... O problema é geral!

O Anúncio é esse:
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-152723277-voltimetro-medidor-d-bateria-veicular-deltrnica-vb10-10-led-_JM



Lembrando que o anúncio não é meu! hahaha Não tem Jabá!

Abraços!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Radares na Ponte Rio-Niterói

1 comentários
Para os amigos q cruzam a ponte.


Aviso do CS Cortes:


Salve CBZADA e Amigos.

Tem rolado uma nota na internet que as cameras da ponte RioxNIterói estão multando, esta é mais um FAKE da internet, cameras não multam, cameras registram o que os sensores acusam. As da ponte acompanham o fluxo do transito e mais nada. Segue abaixo nota do sr. Virgílio Ramos Administrador da PONTE S.A. sobre o assunto.

Então vamos relaxar e motocar... Razz

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Este e-mail foi solicitado pelo Paulo Roberto (Jornal OGLOBO/G1 e BANDA FAIXA ETÁRIA)

Virgilio Andre Ramos Leocadio

Não. Não tem fundamento não. A PRF que retornou suas atividades de fiscalização por radar móvel, não só na Ponte, como em todas as rodovias Federais. Vale lembrar aos amigos motociclistas que as leis são criadas para serem cumpridas, apesar de eu achar que 80 km/h na ponte é pouco, mas, como diz o nosso amigo Arnaldo César Coelho “A regra é clara”. Quem anda acima da velocidade permitida corre serio risco de ser multado. Temos um projeto em andamento na ANTT para implantação de radares na Ponte, porem com velocidades um pouco maior e diferenciada para veículos pesados e automóveis, mas sem previsão. Vale lembrar que os eventos ocorridos nos últimos dias foram todos ocasionados pela imprudência dos motoristas (excesso de velocidade e não manter distância segura do veiculo a frente).



Um grande abraço.

Cs Cortes
MG CBZEIROS

Andar sem placa em rodovias

5 comentários
Pessoal,


Essa semana finalmente fui buscar minha moto nova. Comprei uma Mirage 250 EFI. Preferi comprar em uma concessionária em Friburgo na qual alguns amigos compraram e gostaram do serviço.

Imediatamente surgiu um problema: "Posso andar em rodovias sem placas?" Liguei para algumas pessoas e TODOS me disseram que era proibido. Mesmo assim, teimoso, resolvi ter completa certeza da informação.

A melhor maneira que achei foi ligar diretamente para o órgão fiscalizador. Liguei para a Delegacia da Polícia Rodoviária Federal da Washington Luiz (2676-1601) e pedi a confirmação da informação ao policial de serviço. Quando da minha alegria, ele falou que É PERMITIDO!

Porém disse-me que nem todos saberiam dessa informação, pois a lei mudou recentemente e não foi totalmente (2008) divulgada. O Texto modificado da lei é bem sucinto, mas resolve o problema de cidades do interior onde não existem concessionárias, o que faz os compradores trafegarem sem placa em trechos de rodovias federais/estaduais até o município de emplacamento (onde o cidadão reside!).

Fiz uma pesquisa baseado no que o inspetor me informou e encontrei as resoluções do CONTRAN que garantem a legalidade do tráfego sem placas.

------------------------------------------------------------ ----------------
RESOLUÇÃO Nº 004/98

Dispõe sobre o trânsito de veículos novos nacionais ou importados, antes do registro e licenciamento.

O Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, usando da competência que lhe confere o Art. 12 da Lei 9.503 de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, e conforme Decreto nº 2.327, de 23 de setembro de 1997, que dispõe sobre a coordenação do Sistema Nacional de Trânsito;
Considerando que o veículo novo terá que ser registrado e licenciado no Município de domicílio ou residência do adquirente;
Considerando que o concessionário ou revendedor autorizado pela indústria fabricante do veículo, poderá ser o primeiro adquirente;
Considerando a conveniência de ordem econômica para o adquirente nos deslocamentos do veículo;

R E S O L V E:

Art. 1º. Permitir o transporte de cargas e pessoas em veículos novos, antes do registro e licenciamento, adquiridos por pessoas físicas e jurídicas, por entidades públicas e privadas e os destinados aos concessionários para comercialização, desde que portem a "autorização especial" segundo o modelo constante do anexo I.
§ 1º. A permissão estende-se aos veículos inacabados (chassis), do pátio do fabricante ou do concessionário até o local da indústria encarroçadora.
§ 2º. A "autorização especial" valida apenas para o deslocamento para o município de destino, será expedida para o veículo que portar os Equipamentos Obrigatórios previstos pelo CONTRAN (adequado ao tipo de veículo), com base na Nota Fiscal de Compra e Venda; com validade de (15) quinze dias transcorridos da data da emissão, prorrogável por igual período por motivo de força maior.
§ 3º. A autorização especial será impressa em (3) três vias, das quais, a primeira e a segunda serão coladas respectivamente, no vidro dianteiro (pára-brisa), e no vidro traseiro, e a terceira arquivada na repartição de trânsito expedidora.

Art. 2º. Os veículos adquiridos por autônomos e por empresas que prestam transportes de cargas e de passageiros, poderão efetuar serviços remunerados para os quais estão autorizados, atendida a legislação específica, as exigências dos poderes concedentes e das autoridades com jurisdição sobre as vias públicas.

Art. 3º. Os veículos consignados aos concessionários, para comercialização, e os veículos adquiridos por pessoas físicas, entidades privadas e públicas, a serem licenciados nas categorias "PARTICULAR e OFICIAL", somente poderão transportar suas cargas e pessoas que tenham vínculo empregatício com os mesmos.

Art. 4º. Antes do registro e licenciamento, o veículo novo, nacional ou importado que portar a nota fiscal de compra e venda ou documento alfandegário poderá transitar:

I – do pátio da Fábrica; da Industria Encarroçadora ou concessionária; do posto Alfandegário; ao Órgão de Trânsito do Município de destino, nos dois dias úteis seguintes a expedição da Nota Fiscal ou documento Alfandegário correspondente;

II – do pátio da fábrica, da industria encarroçadora ou concessionária, ao local onde vai ser embarcado como carga, por qualquer meio de transporte;
III – do local de descarga às concessionárias ou industrias encarroçadora;
IV – de um a outro estabelecimento da mesma montadora, encarroçadora ou concessionária ou pessoa jurídica interligada.

Art. 5º. Pela inobservância desta Resolução, fica o condutor sujeito à penalidade constante do Artigo 230, inciso V, do Código de Trânsito Brasileiro.

Art. 6º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogada a Resolução 612/83.

Brasília / DF, 23 de janeiro de 1998.

IRIS REZENDE
Ministério da Justiça

ELISEU PADILHA
Ministério dos Transportes

- ------------------------------------------------------------ ----------------

RESOLUÇÃO Nº 20/98

Disciplina o uso de capacete de segurança pelo condutor e passageiros de motocicletas, motonetas, ciclomotores, triciclos e quadriciclos motorizados, e dá outras providências.

O Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, usando da competência que lhe confere o art. 12, inciso I, da Lei 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, e conforme Decreto nº 2.327, de 23 de setembro de 1997, que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito;

CONSIDERANDO o inciso I dos arts. 54 e 55 e os incisos I e II do art. 244, do Código de Trânsito Brasileiro e a Resolução 03/88, do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial-CONMETRO;

R E S O L V E:

Art.1º. Os condutores e passageiros de motocicletas, motonetas, ciclomotores, triciclos e quadriciclos motorizados, só poderão circular utilizando capacetes de segurança que possuam os requisitos adequados, na forma da presente Resolução.

Art.2º. Para fabricação dos capacetes de segurança, devem ser observadas as prescrições constantes das Normas Brasileiras: NBR 7471, NBR 7472 e NBR 7473.

§ 1o. Se o capacete de segurança não tiver viseira transparente diante dos olhos, o condutor deverá, obrigatoriamente, utilizar óculos de proteção.

§ 2º. O capacete deverá estar devidamente afixado na cabeça para que seu uso seja considerado correto.

Art. 3º. O prazo constante no inciso I, art. 4º da Resolução 004/98 será de cinco dias consecutivos.

Art.4º. O não cumprimento do disposto nesta Resolução, implicará nas sanções previstas no art. 244 do Código de Trânsito Brasileiro.

Art.5º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, em especial a Resolução nº 757/91.

Brasília, 17 de fevereiro de 1998.

Ministério da Justiça Ministério dos Transportes

------------------------------------------------------------ ----------------

RESOLUÇÃO NO 269 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008

Dá nova redação ao inciso I do art. 4º da Resolução
nº 4/98, do CONTRAN, que dispõe sobre o trânsito
de veículos novos, nacionais ou importados, antes
do registro e licenciamento.
O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO – CONTRAN, usando da
competência que lhe confere o art. 12, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997,
que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro - CTB e conforme Decreto nº 4.711, de 29 de
maio de 2003, que dispõe sobre a coordenação do Sistema Nacional de Trânsito,
Considerando que o veículo novo será registrado e licenciado no município de
domicílio ou residência do adquirente e;
Considerando o disposto no processo nº 80001.005021/2003-00/DENATRAN,
resolve:

Art. 1º O inciso I do art. 4º da Resolução nº 4, de 23 de janeiro de 1998, do CONTRAN, passa a vigorar com a seguinte redação:

“I – do pátio da fábrica, da indústria encarroçadora ou concessionária e do Posto Alfandegário, ao órgão de trânsito do município de destino, nos quinze dias consecutivos à data do carimbo de saída do veículo, constante da nota fiscal ou documento alfandegário correspondente;”

Art. 2º Fica revogada a Resolução nº 20, de 17 de fevereiro de 1998, do CONTRAN.

Art. 3º Esta Resolução entra em vigor da data de sua publicação.
Alfredo Peres da Silva
Presidente
Elcione Diniz Macedo
Ministério das Cidades


------------------------------------------------------------ ----------------


Isso significa que a partir de agora, os veículos tem até 15 dias para serem emplacados e podem SIM trafegar em rodovias e na cidade, desde que estejam saindo da concessionária de compra para o município de residência! Wink

Segue endereço do site do CONTRAN/DENATRAN: http://www.denatran.gov.br/resolucoes.htm

domingo, 9 de maio de 2010

Mirage 650 nas ruas do Rio de Janeiro

15 comentários
Essa semana vi uma Mirage! Literalmente! Nunca tinha vido essa belezura na rua! Estava estacionada na Lagoa Rodrigo de Freitas! 


Uma Mirage 650!


Segue fotos!





Linda!



Abraços!

Acessórios Mirage

4 comentários

Pessoal,


Existem alguns acessórios que podem ser colocados na Kasinski Mirage! E dão um bom efeito no visual da motoca!



1. Bagageiro

















Para quem não quer usar o sisybar mas quer colocar um baú, está ai uma boa opção.

2. Banco

















Bancos customizados dão mais conforto tanto para o garupa quanto para quem dirige.

3. Bolha:





















A bolha dá mais conforto, evitando vento frontal, e protegendo durante as chuvas. Nada melhor do que ficar menos molhado nas viagens!


4. Cavalete central:













 


Já pensou ter que trocar o pneu traseiro da Mirage? Eu já levei uma mirage para fazer um reparo no pneu traseiro e não foi muito boa a experiência. A moto não fica 90º e o jeito é entortar a coitada até dar abertura para a retirada da moto. Esse realmente é uma mão na roda!



5. Faróis auxiliares


















Com os farois auxiliares, a visualização de obstáculos a noite fica bem mais fácil. Como a bateria da Mirage 2010 EFI é de 12 Ampéres agora não há mais problema com o consumo de energia


6. Plataformas


















A grande utilidade das plataformas é dar mais conforto tanto para o garupa quando para o piloto. O cuidado que deve-se ter é na conjugação das plataformas com protetores de motor. Observe se os modelos não sofrerão interferência um do outro.

7. Protetor de motor














Protetor Roncar

















Protetor convencional



Os protetores de motor são de fundamental importância para a proteção do coração da moto! Além é claro de proteger as pernas de nós, pilotos. quanto maior os protetores de motor, mais segurança. Porém, os modelos muito grandes impossibilitam curvas muito deitadas, fazendo com que qualquer "deitadinha' deixe marcas nos protetores. Eu particularmente ainda não sei qual modelo adquirir. Tenho relato de amigos com o protetor roncar instalado que evitou uma queda, pois a moto ao tombar, ficou em pé graças ao protetor. Ele funciona como um Slider, igual das motos esportivas!


8. Protetor de Radiador de óleo:





O protetor de radiador é meio controverso. Ele é esteticamente bonito e realmente protege, mas acaba obstruindo a passagem de ar, pois possui proteções largas na frente do dissipador;


9. Sissy Bar
















O Sissy bar é indispensável para aqueles que gostam de viajar com o carona. Dá mais conforto além de segurança. É interressante observar que o Sissy Bar deve ser preso no quadro da moto em mais de um ponto (como o acima), com boa sustentação, pois há uma grande carga de peso em cima dele - tanto pelo esforço da função de encosto quanto pelo peso do baú, que pode ser inserido também.

10. Alforjes:

















Os alforjes fazem parte do Kit essencial de viagem. Esses ai são de fibra de vidro, e dão mais segurança, pois são fechados com chaves. Além disso, não molham em caso de chuva!

11. Fitas cromadas:
























Essas fitas cromadas dão outro ar na motoca! (percebeu elas no para-lama?) Existem frisos cromados com 0,7 cm, 1 cm, 1,2 cm e daí em diante. Então, você pode escolher qual a largura que você acha que ficaria melhor e instalar. Ele já vem com uma fita dupla face 3M internamente. A colagem é muito boa. Testei e ficou bem forte. Sem risco de se soltar. É só limpar a superfície e aplicar a colagem.




Espero ter ajudado!

Abraços

Assembléia 02 - Contemplação

0 comentários
*  Grupo: 33115
* Nº Assembléia: 2
* Data: 22/04/2010
* Horário: 14:00
* Local: CNH

* Cota(s) Contemplada(s) por Lance Fixo:
534 (15.00%)
557 (15.00%)

* Cota(s) Contemplada(s) por Lance Livre:

198 (50.56%)
512 (50.04%)
38  (50.00%)
1   (49.14%)
32  (49.14%)
20  (48.28%)
482 (48.01%)
237 (46.37%)
513 (46.28%)
174 (46.24%)

* Cota(s) Contemplada(s) por Sorteio: 533

* Cota(s) Desclassifica(s): 76 381 460

Próxima Assembléia

    * Nº da Assembléia: 3
    * Data: 21/05/2010
    * Hora: 14:00



Fui Contemplado!  Bem na risca! Depois mostro o cálculo que fiz para poder dar o lance certo, sem ser baixo mas também não perder dinheiro!


Abraços!

Assembléia 01 - Contemplação

2 comentários
Pessoal,


Vou começar a postar as assembléias do meu grupo no Consórcio Nacional Honda , para que todos possam ver o grau de dificuldade para poder retirar a moto. Para os compradores da Kasinski Mirage 250cc o consórcio da XRE 300 é o mais aconselhável. Ele está em 13663,00 e a Mirage aqui no rio está saindo a 13400 + 400 de frete. Então, para retirar a moto, deve-se dar uma pequena diferença, devido ao frete.

Lá vai a primeira assembléia:

XRE 300 sem abs

* Grupo: 33115
* Nº Assembléia: 1
* Data: 15/03/2010
* Horário: 14:00
* Local: CNH

Cota(s) Contemplada(s) por Lance Fixo:190 (15.00%)171 (15.00%)

# Cota(s) Contemplada(s) por Lance Livre:
210 (57.33%)
468 (57.24%)
454 (56.31%)
488 (52.63%)
140 (52.21%)
231 (52.20%)
111 (51.65%)
109 (49.82%)
98 (49.66%)
74 (49.66%)
41 (49.66%)
36 (48.67%)
194 (48.33%)
90 (47.68%)
47 (47.68%)
204 (47.53%)
165 (47.46%)

Cota(s) Contemplada(s) por Sorteio: 181




Setor de duas rodas tem quadrimestre animador

0 comentários
Setor de duas rodas tem quadrimestre animador
Emplacamento foi 10,49% maior. Honda lidera com ampla margem

O setor de duas rodas aos poucos vai reagindo e retomando seu patamar de crescimento. No primeiro quadrimestre do ano foram emplacadas 548.702 motocicletas, a segunda melhor resultado da história no período. O volume de vendas de motos aumentou 10,49% em relação aos primeiros quatro meses de 2009. O número só é inferior ao período que antecedeu a crise mundial (de janeiro a abril de 2008, com 609.736 motos vendidas). Segundo pesquisa da Fenabrave – (Federação Nacional da Distribuição de Veículos), a quantidade de motos emplacadas reflete a reação e também o potencial de crescimento para o setor.

Já o mês de abril apresentou para o segmento de duas rodas ligeira queda no número de emplacamentos – 143.013, contra 163.333 em março – ou seja, retração de 12,44%. Porém se compararmos com o mesmo período do ano passado, o setor teve um incremento de 12,99%.

Para Sérgio Reze, presidente da Fenabrave, esta queda no número é resultado do menor número de dias úteis para faturamento dos veículos. “Em março tivemos 23 dias úteis, com uma média de 7.100 motos emplacadas. Já abril teve 20 dias úteis, com media de 7.150 unidades vendidas. Ou seja, se o mês passado tivesse três dias úteis a mais, emplacaríamos, 164.450 motocicletas, que seria o melhor resultado no ano”, conta Reze.

Para o empresário outro fator que também tem reaquecido o mercado de duas rodas é a maior aprovação de crédito ao consumidor. “Em breve, a liberação de crédito para financiamentos estará no mesmo nível do registrado antes da crise global”, afirma Sérgio Reze.

Outra iniciativa do Governo Federal teve grande impacto para este, pequeno, mas consistente crescimento nos primeiros quatro meses de 2010. A isenção da cobrança da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) trouxe os consumidores para as concessionárias. Entretanto, o imposto voltou a ser cobrado em 1º de abril e motivou as fábricas a realinharem suas tabelas de preços.

“Um fato curioso é que, mesmo com a chegada de novos players no setor de duas rodas nos últimos anos, não se mexeu na estrutura de vendas. Ou seja, o grande volume de vendas ainda está nas mãos dos tradicionais fabricantes de motocicletas. Apesar da crise, a Honda, por exemplo, ampliou seu market share”, explica o presidente da Fenabrave.

Ranking das montadoras

No ranking das montadoras, a Honda lidera com ampla margem. Hoje, detém 77,23% do mercado. Nos primeiros quatro meses de 2010, a marca japonesa já emplacou 423.753 motocicletas. A segunda colocação está com a Yamaha, com 11,28% (61.911 unidades). A terceira e quarta posições, disputa acirrada entre a Suzuki (4%) e a Dafra (3 %). Na seqüência estão Sundown, Traxx, Kasinski, Kawasaki, Shineray e Harley-Davidson.

Com o resultado das vendas de motos no primeiro quadrimestre do ano, a Fenabrave alterou sua previsão para 2010. Segundo a entidade, o setor de duas rodas deve fechar o ano com cerca de 1.772.000 unidades emplacadas. O que representa um crescimento de 10,13% sobre o resultado do ano passado. O número é superior ao registrado em 2007 (1.708.640 motos) e 2009 (1.609.173 unidades), porém inferior a 2008, ano em que foram emplacadas 1.925.514 motocicletas, recorde histórico para o setor. Se a crise mundial não tivesse explodido em setembro daquele ano, o resultado poderia ter sido ainda superior. O Brasil teria vendido mais de 2.044.000 motos em 2008.

Texto: Aldo Tizzani /InfoMoto(06-05-10)

Kasinski anuncia investimento de R$ 45 milhões

0 comentários
Prestes a inaugurar uma nova unidade industrial em Manaus (AM), a Kasinski anuncia mais um investimento fabril. São cerca de R$ 45 milhões direcionados à construção de um complexo industrial com início das obras já no segundo semestre de 2010. A expectativa de conclusão é para 2012.
Menos de um ano após ser adquirida pela CR Zongshen do Brasil, holding nacional do Zongshen Industrial Group, um dos maiores fabricantes de motocicletas do mundo, a Kasinski anuncia novos investimentos.
Com o objetivo de estender a sua atuação e abastecer também as Américas a partir da base brasileira, a Kasinski inicia, no segundo semestre deste ano, a construção de um complexo industrial, em Manaus, num terreno próprio com mais de 130 mil metros quadrados. A nova unidade industrial terá capacidade de produção de 180 mil unidades/ano, e com isso, a geração de novos empregos ganha novo impulso. O novo complexo industrial deve gerar cerca de 600 empregos diretos.
Comitiva chinesa em Manaus- Na segunda-feira, dia 3 de maio, o Presidente da Kasinski, Claudio Rosa Junior, receberá em Manaus (AM), uma comitiva chinesa composta por integrantes do Governo chinês e da diretoria do Zongshen Industrial Group – empresa-matriz da Kasinski, com sede na China.
Na ocasião, junto com o governador do Amazonas, Omar Aziz, será confirmado o investimento de R$ 45 milhões na construção deste complexo industrial.
“Estamos investindo para fortalecer cada vez mais a presença da Kasinski no mercado brasileiro. Nosso interesse é crescer como fabricante mundial e fincar bases cada vez mais sólidas no Brasil”, comenta Claudio Rosa Junior, Presidente.
Nova geração de produtos - Antes da conclusão do complexo industrial, em 2012, a Kasinski deverá ampliar a produção e inaugurar, em junho deste ano, uma nova fábrica. A nova fábrica terá capacidade instalada para fabricar 110 mil motos/ano e com isso atenderá à demanda do mercado interno pelos próximos anos, até a conclusão do complexo industrial.
E será nesta nova fábrica que o primeiro scooter elétrico brasileiro, o Kasinski Prima Electra, começa a ser fabricado. O scooter Kasinski Prima Electra é o único no Brasil movido a energia elétrica e com potência de 2.000 watts – o que confere alto desempenho e torque ao produto.
O 1º scooter elétrico fabricado no Brasil: Tem design europeu e ciclística desenvolvida para o mercado brasileiro | É o primeiro scooter do setor com alta potência e desempenho fabricado no País | Não polui. | Baixíssimo nível de ruído | Alto benefício e preço acessível: R$ 5.290,00 | Fácil utilização. Automático | Baixo custo de abastecimento. Energia elétrica (110 ou 220 watts)| Oferece três opções de pilotagem: econômica, conforto e esportiva. 

06/05/2010 - 09:44
http://www.revistafatorbrasil.com.br/ver_noticia.php?not=116129
 
older post
 
----- analytcs